Buscar
  • SpeedTemper

A PANDEMIA CHEGOU AO BRASIL, E AGORA?

Apesar de ter surgido na China, em Wuhan, a Covid-19 se espalhou pelo mundo, trazendo para a humanidade um momento de reflexão e temor.



Apesar de ter surgido na China, em Wuhan, a Covid-19 se espalhou pelo mundo, trazendo para toda a humanidade um momento de reflexão e temor.


Para nós, brasileiros, o momento é repleto de incertezas, com o aumento constante de infectados e óbitos gerados pelo coronavírus, medidas urgentes foram tomadas pelo governo em todo o globo e isso trará sérias repercussões para a economia mundial e claro, para o mercado vidreiro.


Mais do que administradores, os proprietários de grandes, médias e pequenas empresas precisam se tornar estrategistas e assim, buscar soluções inteligentes para driblar as limitações de movimento determinadas pelas autoridades.


Segundo José Domingos Seixas, presidente da Abravidro: “Nesse momento de tanta incerteza, o mercado deve estar atento. Vamos cuidar de nossas famílias e colaboradores, respeitando as determinações das autoridades para que possamos colaborar com o esforço nacional para diminuir o impacto destruidor dessa pandemia. É fundamental avaliarmos cenários e traçarmos planos de contingência para garantir a continuidade dos nossos negócios apesar das adversidades”.


Apesar das preocupações de alguns empresários do ramo, que já sentem os primeiros impactos causados pela pandemia na economia e no dia a dia de suas empresas, especialistas do ramo, como Lucien Belmonte (superintendente da Abividro) afirma que não há risco de desabastecimento e nem parada de produção.


Já a Abrasipa busca tranquilizar ao mercado informando que seus estoques estão abastecidos e que os itens de maior consumo podem ser despachados para entrega em até 2 dias.


Se no meio da produção ainda é possível manter alguma calma, já para os vidraceiros o impacto é eminente.


Por conta da pandemia e das restrições impostas pelo Governo Brasileiro, empresas, condomínio e moradores das mais diversas regiões do país, evitam o contato com os profissionais, adiando assim muitas compras, manutenções ou instalações.


Essa realidade aliada ao fechamento do comércio se torna um grande ponto de perigo para o mercado, que precisará de muita criatividade para continuar a realizar vendas, mesmo nesse período.


Algumas opções para sobreviver a esse período são: a proposta de agendamento futuro de instalação, aumento nas parcelas para pagamento do produto e promoções que utilizem desse prazo como algo a favor do cliente e do vidraceiro.


É momento de união do comércio no geral e pensando nisso alguns empreendedores iniciaram a campanha “COMPRE NO SEU BAIRRO”. Esses posts que têm circulado pelas redes sociais, motivam a população a favorecer a compra dentro do seu bairro, dando assim a oportunidade de pequenos e médios empresários a sobreviverem a iminente crise financeira causada pela quarentena.


Fonte: https://abravidro.org.br/

1 visualização